terça-feira, 24 de maio de 2011

reflexões sobre o silêncio





I
às vezes, ele grita.

II
o erro é mudo.
a experiência fala por si, mas sua sequela ainda é o eco de um homem no pico de uma montanha.
eu o vi: ele não está lá.

III
e eu, existo em silêncio?
ou só o grito é capaz de significar a existência de alguém?

IV

nem sempre penso sobre o silêncio que vivo
mas sei
o fato de gritar acusa um silêncio vivo.